daniel

FARIAS

ator

A palavra e a voz formam o fio condutor que une as facetas do artista Daniel Farias. Seja como ator encarnado no palco ou nas telas, com seus poemas nos saraus e livros de poesia, emprestando sua voz em locuções e dublagens ou assinando parcerias em letras e composições.

Em sua vida, o TEATRO chegou junto com a música, na formação com o diretor Osvaldo Rosa e um pouco mais tarde, como integrante do Grupo Vilavox, com quem participou de diversos espetáculos a exemplo de Castelo da Torre. Nos anos que viveu em São Paulo participou de montagens como A Última Palavra é a Penúltima 2.0, do Teatro da Vertigem e Relampião, da Cia. do Miolo, dentre outras, passando por festivais na Bélgica, no Chile e em Cuba.

Ainda em SÃO PAULO, atuou na peça Hotel Jasmim, ao lado de Eduardo Pelizzari, com texto de Cláudia Barral premiado pelo edital de dramaturgia do Centro Cultural São Paulo, que contou com a direção de Denise Weinberg e Alexandre Tenório.

Na BAHIA recentemente encarnou Shakespeare no musical Sonho de Uma Noite de Verão na Bahia, de João Falcão  e integrou o elenco de Teatro La Independência, com direção do premiado Luis Alonso, do Oco Teatro Laboratório. Também atuou em espetáculos teatrais dirigidos por Edvard Passos, como A Cidade da Bahia, pelas ruas do Pelourinho e o premiado Compadre de Ogum. Com a Cia. Improviso Salvador participou do festival Espontâneo em Sintra, Portugal. Dublou a série de animação Aventuras de Amí, da Lanterinha. Integra ainda o elenco da montagem A História do Soldado, obra de Stravisnksy com a OSBA e o  BTCA.

Com o amigo e ator Talis Castro criou a NAVE – Plataforma de Lançamento, encenando a montagem espanhola E Por Que John Cage? e a autoral #GastandoAmor, que nasceu concebida no apartamento que os atores dividiam, passou por teatros e hoje ganha praças públicas. As canções compostas pela dupla deram origem ao EP #GastandoAmor, produzido por Luciano Salvador Bahia e disponível nas plataformas digitais.

No AUDIOVISUAL integra o longa metragem Receba, dirigido por Rodrigo Luna e Pedro Perazzo, em fase de edição, bem como do filme de Bernard Attal, A finada mãe da madame. Ainda em São Paulo, integrou o elenco do programa Terradois da TV Cultura, no episódio de estreia, Sinfonia Sem Fim. Para TV Aratu, foi dirigido por Jorge Alencar na série baiana Crimes Bizarros. Também atuou nos curtas metragens Hotel Jasmim, de Cláudia Barral e Identidade, de Eduardo Oliveira.

Na poesia, a escrita saiu dos blogs e após participar de coletâneas de novos poetas, deu origem ao seu primeiro livro, BACKUP – 30 poemas aos trinta, publicação independente lançada pela Nave Plataforma de Lançamento. Mais tarde, o livro foi atualizado e ganhou a versão Backup 2.0, incluindo mais textos de sua produção. No Porto dos Livros, promove saraus e espaços de compartilhamento de produção escrita própria e de outros autores. Participou da 2ª edição da Flipelô, do FARPA - Festival Arte da Palavra, entre outros eventos voltados para literatura, seja mediando mesas, seja apresentando suas criações e processos criativos.

Lançado em 2019, sua mais nova obra intitula-se O Tempo Da Coisa, em parceria com a Editora Gris, de Lara Perl e Rafa Moo. Farias apresenta um livro delicado, cuja poesia extrapola as palavras e se espraia na visualidade da obra no desejo de fazer alterar o tempo que coisifica e que aparta o sujeito de si mesmo. A proposta é versar sobre o tempo e convocar o leitor a experimentar outra velocidade, a da poesia.

A dramaturgia também faz parte da criação artística de Daniel Farias, que é autor da peça Paquiderme, presente no livro Núcleo de Dramaturgia, publicado pela editora Sesi-SP em 2014, que conta com montagem de monólogo de Daniel Alvim com direção de Johana Albuquerque. Ao lado de Luana Tanaka e Victor Lucena é co-autor e ator no espetáculo L.E.R., que estreou em em São Paulo em 2013, sob supervisão geral de Luiz Fernando Marques e contemplado com o prêmio PROAC Primeiras Obras. Integrou a 5ª turma do Núcleo de Dramaturgia do Sesi-SP em parceria de intercâmbio com o British Council e com coordenação de Marici Salomão e César Augusto.

É integrante da coletânea Sangue Novo - 21 poetas baianos do século XXI, publicado pela Editora Escrituras em 2011, com organização de José Inácio Vieira de Melo. Seus poemas também estão presentes na Antologia Poética do I Concurso Nacional Novos Poetas, publicado pela editora Vivara e com organização de Isaac Almeida Ramos, de 2011. Publicou dois contos na 25ª edição da Revista Ângulos, pela EDUFBA, coleção literária dos alunos da Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, onde se formou bacharel em 2009.

Na música, Daniel Farias é compositor e letrista, construindo parcerias criativas com Filipe Lorenzo, Ricardo Caian, Pietro Leal, Kalu, Talis Castro,  JP Castelheano e Chico Gomes.

autor

 
 
 

 contato 

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
 
 
DIVULGAÇÃO

crédito: Renata Scavuzzi